quarta-feira, 22 de setembro de 2010

( MATÉRIA ATUALIZADA COM VÍDEOS DA CARTILHA E MATÉRIAS JORNALÍSTICAS , NÃO PERCA )- Publicação da cartilha do governo federal para as escolas traz ilustrações de casal de jovens se masturbando e revoltou pais de alunos

    Nosso governo federal , a muito, têm investido na aceleração da sexualidade sem nenhum pudor. Não podemos ficar calados. As cartilhas escolares públicas carregam um teor de banalização das questões morais e sexuais sem limites.  Ensinam crianças de 8 anos


de idade a se masturbarem, a 'ficarem' uma com as outras, a acharem normal dois meninos se beijando , etc... Se você duvida do que estou dizendo então veja com seus próprios olhos a cartilha distribuida nas escolas públicas intitulada de "DIVERSIDADE SEXUAL NA ESCOLA".

Prefeitura de Recife (PE) recolhe livro de educação sexual para crianças

O livro didático "Mamãe como eu nasci?" ainda estava sendo distribuído entre alunos do terceiro ano do ensino fundamental da rede pública do Recife (PE) e já começou a ser recolhido, nesta semana, por iniciativa da Secretaria Municipal de Educação, diante da polêmica que provocou. De autoria de Marcos Ribeiro, premiado pela Academia Brasileira de Letras e referência nacional em educação sexual, o livro chegou a ser considerado "pornográfico" pelo vereador André Ferreira (PMDB), representante da bancada evangélica na Câmara.
Pais de alunos se mostraram revoltados com a publicação, que fala de forma clara sobre sexo e traz, entre as ilustrações, um menino e uma menina se masturbando - ele em uma banheira e ela defronte da televisão. Com o apoio de vereadores de vários partidos, a Câmara da capital pernambucana realiza uma audiência pública no dia 12 para debater o assunto. Ferreira afirma que o livro é inadequado para crianças.
- O livro usa cenas e palavras pesadas, chega a ser constrangedor ler o que está lá. Quem é a escola para escolher o tempo certo para abordar o assunto?
A diretora geral de ensino da Secretaria municipal de Educação, Luiza Vasconcelos, afirmou que o recolhimento do livro é provisório, para discussão com as escolas e pais que tiveram dificuldade com a publicação. Ela defende o título, escrito há 18 anos e usado em várias escolas de Estados e Municípios brasileiros, como instrumento de proteção e prevenção.
- A partir do conhecimento do seu corpo, a criança pode se proteger.
Luiza destaca que muitos alunos e professores não aceitaram devolvê-lo, o que é respeitado pela Secretaria. Segundo ela, 550 exemplares do livro - dentro de um kit de títulos didáticos - estavam sendo distribuídos com as turmas do primeiro ano do segundo ciclo, que têm idade entre oito a dez anos.

MATÉRIA JORNALÍSTICA DO REPÚDIO DA CARTILHA


CARTILHA COMPLETA EM VÍDEO ( CONFIRA AS IMAGENS PESADAS PARA CRIANÇAS )

FONTE

Cartilha do governo Lula estimula alunos de 13 a 19 anos a narrar suas “transas”

Por Leila Suwwan, na Folha desta quarta:
O governo federal elaborou e vai distribuir para estudantes de escolas públicas de 13 a 19 anos uma “agendinha” com dicas sobre beijo, sedução, masturbação e saúde. Polêmica, a cartilha inclui até uma lista a ser preenchida com as melhores “ficadas” -relacionamentos-relâmpago entre jovens.Na parte sobre beijos, a cartilha orienta que “beijar muitos desconhecidos numa única noite não é tão bom assim”, pelo risco de doenças. Mas compara o beijo ao chocolate, por “aguçar todos os sentidos” e “liberar endorfinas”, com a vantagem de ainda “queimar calorias”, ao contrário do doce.O material faz parte do programa Saúde e Prevenção nas Escolas - Atitude para Curtir a Vida e aborda temas variados que vão dos efeitos colaterais do aumento de peso (espinha e preguiça) até homenagem ao cantor Cazuza, morto por Aids.A cartilha foi elaborada pelos ministérios da Saúde e da Educação ao longo de 2006 e testada com alunos do Distrito Federal. A primeira tiragem teve 40 mil exemplares e o governo pretende encomendar 400 mil cópias adicionais.Um item que pode instigar polêmica entre pais são as duas páginas dedicadas às “ficadas”. Em uma delas, há espaço para o aluno preencher os detalhes das mais espetaculares de sua vida -com o esclarecimento de que a “ficada” compreende várias coisas: beijar, namorar, sair e transar.Nas páginas sobre o uso da camisinha, o caderninho ensina a colocar o preservativo sob o título “O pirata de barba negra e de um olho só encontra o capuz emborrachado”.Entre os cinco motivos para usar camisinha há a “sedução”, além da “proteção”: “Colocar o preservativo pode ser uma excelente brincadeira a dois. Sexo não é só penetração. Seduza, beije, cheire, experimente!”
CAMISINHA - O Ministério da Saúde anunciou ontem que pretende ampliar a distribuição de camisinhas para jovens nas escolas públicas após uma pesquisa constatar que 45% dos estudantes ouvidos tinham vida sexual ativa e que 30% não haviam usado preservativo na sua mais recente relação.O governo rejeita que exista uma estimulação sexual precoce com a medida e avalia, com base em pesquisa da Unesco, que é necessária uma política pública sobre o tema que não seja omissa. Hoje, o programa de DST/Aids tem como meta anual a distribuição de 100 milhões de camisinhas para a faixa etária de 13 a 24 anos.Ainda não há previsão de quando e como será feita a distribuição, mas pelo menos uma das formas será por meio de máquinas eletrônicas -já existe um concurso para o desenho do equipamento nas escolas técnicas federais. “Já existe uma decisão concreta de expansão”, disse ontem o ministro da Saúde, Agenor Alvares.
Por Reinaldo Azevedo
FONTE : VEJA

6 comentários:

  1. Eu tenho 3 filhos.E a mais velha estuda na rede pública!!
    Estou tão INDIGNADA que não consigo fazer comentários!!!!!!!!!!!!!
    Me sinto impotente e indignada!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Me da nojo uma coisa dessa ... é o fim dos tempos mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Depois nos chamam de homofóbicos, racistas, preconceituosos, nazistas, nos discriminam, só porque somos contra a ensinarem essas porcarias a nossos filhos. Eles não tem esse direito.

    ResponderExcluir